28/07/2013

História - Anonimato

    Em cima da cama, estava a estudar, pouco normal no meu dia-a-dia. Quando o meu telemóvel vibra. Ergo a mão para o ir buscar em cima da mesa de cabeceira. Uma mensagem em anónimo. Nunca tinha recebido uma. É normal com a minha idade telefonar em anónimo aos amigos, mas uma mensagem nunca ninguém se dava ao trabalho. É demasiado complicado. Depressa a minha curiosidade aumenta. Clico para visualizar.
    'Estuda melhor mais tarde, é melhor ires ver as tuas amigas. -M.A.'
    Mesmo não olhando para o espelho, sei que a minha cara deve estar em estado de choque. Eu não disse a ninguém que ia estudar, estou sozinha em casa. Como o sabem. Telefonei em pânico para a Naomi. A minha melhor amiga.
    -Sim? - pergunta-me uma voz do lado de lá, conhecida.
    -A Naomi está? É a Melanie.
    -Oh, ela saiu disse que ia ter contigo e a Lily.
    -Ah... Obrigada.
    Desligo o telemóvel rapidamente sem dar tempo para ouvir a resposta do outro lado. Vesti um casaco, coloquei o telemóvel no bolso esquerdo e as chaves no outro. Sai, corri uma parte do caminho, porque estava sozinha. Quando avistei pessoas comecei a andar. Não sabia para onde me dirigir, mas calculei que ela devia estar em casa da Lily. Mudei de direcção. 
    -Melanie, aqui! - Diz uma voz no outro lado da rua. Conhecia, mas quando olhei a sua cara estava pálida. E ao seu lado estava a Naomi quase a chorar.
    -Lily, Naomi. Ainda bem que vos vejo. - Corro para o outro lado, sem olhar e só oiço uma travassem repentina. No outro lado da rua elas gritaram o meu nome. Um carro cinzento estava a centímetros de mim, e pelo olhar do condutor estava furioso. Dou um sorriso de pânico para ele. E corro para junto dela. Elas abraçam-me e eu ainda estou a tremer.
    -Tenho algo para contar-vos. - Disse logo, ao meu quase atropelamento não parece tão assustador, comparado com o assunto que vinha para falar.
      -Tu também recebeste? - Diz Lily.
     - O quê, vocês também receberam uma mensagem? - Digo, ainda com a voz a tremer. E agora reparo que não sou só eu a abanar como uma varra. Elas também estavam.
     No meu bolso o meu telemóvel vibra outra vez, acompanhado com um toque. Mas o meu não é o único. Ao mesmo tempo o delas também tocaram. Apresso-me a tirar o meu do bolso. Olho para elas, e ambas estão com uma cara de medo, pânico.
      -Estão bem? - Digo.
     -Melanie, tu tens a certeza? Pode ser a M.A. - Responde a Lily, o medo invade o meu corpo por instantes.
    -Sim, isto não passa de uma brincadeira. Vá vamos ver o que é. E depois falamos. Provavelmente não deve ser nada. Só uma brincadeira, certo?
     Ambas tocamos no telemóvel. Lemos em conjunto o que as nossas mensagens diziam. Era duas frases simples.
     'Deviam ver os vossos rostos agora, em pânico. Estou a ver-vos. -M.A.'
    - Meninas vamos embora, temos de ir a policia. Quero sair daqui. -Diz a Lily.
    -Vamos entrar para a minha casa. Vá vamos. - Reclama baixinho a Naomi.
    Atravessamos a rua, e elas entrar para o apartamento. Eu parei à porta. Antes de entrar, olhei para todos os carros a procura de um rosto familiar, para os prédios, cada varanda e janela. Mas nada, algumas pessoas no café da esquina, mas ninguém mexia no telemóvel ou olhava. Entrei quase a correr. Sentia que alguém me espiava. Só não sabia de onde. E odiei a sensação.
Ao entrar-mos em casa da Naomi, elas fecharam todas as janelas e persianas, ligaram as luzes para não ficaremos as escuras.
     -Ok, temos de ir a policia. -Disse a Naomi ao fechar a porta de casa à chave.
    -Meninas desliguem os vossos telemóveis e retirem o cartão. E desliga o computador também Naomi. -Elas dirigiram-me um olhar como se eu fosse maluca. - A sério façam isso. Ok, depois eu explico. - Disse nesta vez com um tom mais sério e alto. Assim o fizeram, mesmo com umas caras de resmungonas.
    -Vejam, não foi qualquer pessoa que mandou estas mensagens, é alguém que percebe disso. Mandar mensagens de telemóvel em anónimo não é fácil, não é o mesmo que fazíamos quando éramos mais novas ao telefonar as pessoas e gozar com elas. Ai era só não permitir que aparecesse o número. No telemóvel não a opção para não aparecer o número nas mensagens. Não é algo simples. É o mesmo processo que as operadoras fazem ao mandar um sms. Por exemplo Naomi as vezes não recebes mensagens de telemóvel da Tmn a dizer o teu saldo ou isso. E não aparece o número do telefone da Tmn, mas sim o nome. Tmn. Aqui é o mesmo só que em vez de Tmn aparece Anónimo. Por isso é um profissional. E se percebe disso, também pode perceber de computadores e escutas de telemóveis. Não me olhem assim, isto é a serio. O ou a M.A pode ter acedido ao teu facebook Naomi! e a partir daí ao teu computador. E aos nossos e-mails. Talvez eu ande a ver demasiado NCIS mas posso ter acabado de salvar as nossas vidas.
     Ambas olharam uma para a outra durante muito tempo. Nessa noite não me lembro de mais nada ter acontecido. Sei que quando acordei de manhã, penso eu, as janelas ainda se mantinham fechadas, estávamos todas ainda em casa, a dormir no sofá. Procurei em silêncio o meu telemóvel, tentando apalpar a mesa. A minha mãe deveria estar preocupada. E queria saber as horas. Ao encontra-lo coloquei o cartão e a bateria no sitio certo. Liguei-o, e ele toca. As duas acordaram de repente, pela cara da Lily, ela não dormiu nada . Tinha olheiras por debaixo dos olhos verdes. E a Naomi tinha o seu cabelo preto todo despenteado. Ao vê-las pensei que talvez a minha cara não esteja lá muito apresentável. Por isso segui em frente. Abri a mensagem que estava no meu telemóvel e lia em voz alta.
    'Agora as traidoras estão todas juntas. Espero que tenham dormido bem. O dia ainda agora começou. -M.A.'

Sem comentários:

Enviar um comentário